OGM: um compasso de espera

segunda-feira, março 20, 2006

Embriões humanos clonados pela primeira vez

Dois grupos de investigadores conseguiram clonar, pela primeira vez, embriões humanos. O anúncio foi feito esta sexta-feira, no Reino Unido. Os avanços anunciados podem ser benéficos para a substituição de órgãos sem se correr o risco de rejeição.
Dois grupos de investigadores, um britânico e outro sul-coreano, conseguiram clonar pela primeira vez embriões humanos.
A equipa britânica, do "Centre for Life" da Universidade de Newcastle (noroeste de Inglaterra) criou três embriões clonados, os primeiros na Europa. O grupo de cientistas conseguiu produzir com êxito um blastocito (um diminuto embrião nas primeiras etapas de formação) clonado de uma célula humana através de transferência nuclear.
Já a equipa coreana, cujo trabalho está numa fase mais avançada do que a equipa britânica, conseguiu criar mais de 60 embriões clonados, a partir dos quais puderam fabricar células estaminais compatíveis com o ADN de uma pessoa.
Para estes cientistas, a investigação abre novas perspectivas no tratamento de doenças como a diabetes e a doença de Alzheimer, ou substituir órgãos defeituosos sem correr o risco da rejeição de transplantes.
Trata-se de «um passo em frente gigantesco para a ciência, até ao dia em que algumas das doenças mais devastadores poderão ser tratadas graças às células estaminais terapêuticas», declarou o prof. Woo Suk Hwang, da Universidade Nacional de Seul, que chefiou a equipa sul-coreana.
Os progressos só poderão, no entanto, ser aplicados em pacientes daqui a vários anos.